Best Cars Web Site
Supercarros

A nova forma do carro de alumínio

Clique para ampliar a imagem

Audi apresenta a segunda geração do A8, com boas
novidades, mas sem inovar em muitos aspectos

Texto: Fabrício Samahá - Fotos: divulgação

Em um cenário como o segmento de mais alto luxo do mercado europeu, oito anos é um longo ciclo de vida para um automóvel. Nem mesmo o Mercedes-Benz Classe E, que chegara a 11 anos na geração lançada em 1984, resistiu tanto tempo na versão de 1995, já reformulada este ano. A permanência do Audi A8 sem alterações significativas por todos esses anos só comprova a excelência do primeiro sedã de luxo com estrutura e carroceria de alumínio.

Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem

Estilo sem surpresas: o A8 guarda boa semelhança com os Audis menores (o A6
e o novo A4) e não esconde o parentesco com o Phaeton da Volkswagen

Eis que finalmente, no Salão de Paris, em setembro, surge um novo A8. Ao contrário do rival BMW Série 7, que aposta em linhas ousadas e controvertidas, o topo de linha da marca das argolas recorre a um estilo familiar, sem revoluções. Como já ocorrera entre os Audis A4 e A6, é clara a identificação de similaridades dentro da marca -- e também fora, com o VW Phaeton.

O A8 também não segue a concorrência quanto às dimensões. Enquanto o atual Mercedes Classe S manteve-se no comprimento do anterior, o Audi cresceu 17 mm nessa medida (agora 5,051 m), 14 mm em largura (para 1,894 m), 4 mm em altura (1,444 m) e 62 mm entre eixos (chegando a 2,944 m). Todas as medidas são da versão mais curta, única divulgada por enquanto. O Cx anterior de 0,30, um dos menos expressivos da categoria, passou a 0,27. Mesmo com a área frontal aumentando de 2,25 para 2,31 m2, o produto final é melhor agora.

Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem

Por dentro, novidades já vistas na concorrência: radar para controle de distância
à frente, câmbio automático de seis marchas e um comando multifunção no console

O interior do novo A8 não reserva surpresas, mas o console traz um comando de múltiplos movimentos e funções, o Multi Media Interface (MMI), similar ao iDrive do Série 7 bávaro. Inovação da Audi, só possível devido a alterações na legislação sobre luzes, é o AFS, Advanced Front-lighting System ou sistema avançado de iluminação frontal. São faróis ativos, capazes de iluminar em curvas, por variar a forma do facho de acordo com a velocidade e o movimento do volante.

Outras evoluções internas são freio de estacionamento automático, com acionamento eletromecânico; controlador de velocidade com radar, que detecta veículos à frente e reajusta o ritmo de viagem, como no Classe S; monitor de pressão dos pneus; bolsas infláveis frontais de duplo estágio; encostos de cabeça dianteiros ativos, que se movem em colisões para maior proteção; e sistema de destravamento e partida sem chave.

Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem

Estrutura e carroceria de alumínio, ainda uma exclusividade no segmento. A suspensão
pneumática varia sua carga conforme as condições ou o comando do motorista

Os primeiros motores são V8 a gasolina, de 3,7 e 4,2 litros. O primeiro passa de 260 para 280 cv, baixando a aceleração de 0 a 100 km/h de 8,6 para 7,3 s. O motor maior vai de 310 para 335 cv a 6.500 rpm, com 43,8 m.kgf de torque e 0-100 em 6,3 s (antes 6,9 s). Em ambos o consumo foi reduzido e a velocidade máxima permanece de 250 km/h, limite eletrônico. Motores de seis e 12 cilindros e também turbodiesel virão mais tarde.

Tração integral Quattro e transmissão manual-automática Tiptronic serão de série; esta ganhou uma sexta marcha (como no BMW) e botões no volante para as mudanças manuais. Embora pareça mera questão de marketing usar seis marchas num V8, há o benefício de poder trafegar, digamos, a 200 km/h por uma autobahn com o motor sussurrando a 3.450 rpm.

Clique para ampliar a imagem

Os faróis ativos, que alteram o facho nas curvas, são a maior inovação do novo A8. Os
motores -- apenas V8 por enquanto -- ganharam 20 a 25 cv e consomem menos

A exemplo do Phaeton, a suspensão é pneumática e possui ajuste contínuo da carga dos amortecedores; a seleção entre três modos de funcionamento afeta também a carga das molas a ar. Pneus 235/55-17 substituem os 225/55-17. A Audi não fala em peso, mas a carroceria de alumínio -- ainda uma exclusividade do A8 no segmento -- certamente garante que esteja entre os mais baixos dos sedãs de seu porte.

Página principal - e-mail

Data de publicação deste artigo: 10/7/02

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados